Conheça as garantias para empréstimo e financiamento

Ter bens que possam ser dados como garantias para empréstimo e financiamento podem facilitar a busca de crédito no mercado. Isso porque eles asseguram o pagamento da dívida caso você não consiga arcar com este compromisso financeiro.

Leia também:

Você sabia que assina contrato mesmo sem assinar?

Empréstimo com garantia: opção pra conseguir dinheiro com juros baixos

Cuidados com empréstimos via internet para não cair em golpes

A princípio, vários tipos de bens de valor podem ser dados como garantias para empréstimo e financiamento. Como exemplos, imóveis, carros, joias e até títulos financeiros, entre outros. Ainda, é possível “dar” como garantia um avalista ou um fiador.

Então, vamos entender todos os tipos de garantias e as consequências caso o empréstimo ou o financiamento não seja quitado.

Hipoteca

A hipoteca acontece quando bens imóveis são dados como garantias para empréstimo ou financiamento. Mas o imóvel precisa estar no nome de quem irá solicitar o crédito.

Enquanto a dívida não é paga, o bem recebe um gravame. Ou seja, um registro lançado sobre ele indicando que está atrelado a algum tipo de contrato. O gravame impede qualquer negociação com o bem dado em garantia.

Caso você não pague a sua dívida, o imóvel poderá ser executado. Em outras palavras, ele poderá ir a leilão para saldar os valores em aberto e o saldo será devolvido a você.

No Brasil, a hipoteca não é muito aceita, sendo a alienação fiduciária um empréstimo mais usado.

Alienação fiduciária

Por outro lado, ao optar pela alienação fiduciária como garantia de um empréstimo, o seu bem (pode ser imóvel, carro, etc.) terá a transferência de propriedade transferida para quem irá te conceder o crédito. Mas você continuará com a posse do bem.

Quando ocorrer a quitação do empréstimo ou do financiamento, a propriedade do bem dado em garantia voltará ao seu nome.

Do contrário, se houver inadimplência, o credor poderá, via cartório, solicitar o bem e, em seguida, levá-lo a leilão.

Penhor

O tipo de penhor mais usado é de bens como joias. Mas pode ser também de veículos, de direitos e títulos de crédito e, até, de propriedade rural. É uma das formas mais fáceis e rápida de se conseguir dinheiro.

O penhor como garantia de empréstimo e financiamento ocorre quando você entrega a posse do bem para quem está concedendo o crédito. Contudo, não é transferência de titularidade. É a entrega do próprio bem. Isso significa que durante o período do empréstimo ou financiamento, você não terá direito de usar aquele bem.

Então, em caso de inadimplência, o bem é vendido para a quitação da dívida. Se o empréstimo ou o financiamento for quitado corretamente, o bem é devolvido.

Avalista

Ao indicar um avalista como garantia de empréstimo e financiamento você dirá ao credor que a pessoa irá assumir a dívida em caso de inadimplência.

E, se houver inadimplência, o avalista pode ser acionado pelo credor a qualquer momento.

Atualmente, esta garantia pessoal de pagamento de título de crédito não é muito aceita por quem concede empréstimos ou financiamentos.

Fiador

Assim como o avalista, o fiador também é uma pessoa, física ou jurídica, e irá responder pelo pagamento da dívida em caso de inadimplência.

A diferença para o avalista é que o fiador é mais usado em contratos de aluguel de imóveis. Dificilmente esta opção é considerada em empréstimos e financiamentos.

Outra diferença é na execução do débito. Sempre o devedor será acionado primeiro. Esgotadas as possibilidades de o credor receber, aí, sim, o fiador é chamado a quitar o débito.

Consulte grátis seu CPF e SCORE
Comece agora uma nova vida financeira

Posts relacionados